5 de julho de 2011

Até a elevação





Ah! Mais alto, tão alto quanto o sol. Tu me pegaste agora, me pegaste de tal modo que não sei para onde estou indo, mas tenho certeza que é algum lugar perdido perto da esquina da tua boca! Quero que teus quadris me encontrem e que, em um eclipse, tu me atires de tua arma, me mires para o alto, que me jogues para as estrelas e me pegue nos braços. E me segure, e me aperte, e me prenda, e me perca em teus braços! E me perca em teus olhos, e te percas em meus lábios, e te encontres em meus abraços, e te apertes em meus braços! E de volta me encontres!
Ah, tu me pegaste agora! De maneira a me fazer perder o controle, a noção, a razão! Fizeste-me perder o juízo e não saber o que estou fazendo ou o que quero fazer. Fizeste-me perder o sono e me deixaste apenas a lembrar das noites em que, como um furacão, tu me sacodes embalado em todos aqueles hits dos anos oitenta, em garrafas de bebida escocesa, em roupas espalhadas pelo chão.  Em trens descarrilados e velhos carrosséis, em restos de algodão doce e dois dedos de whisky no balcão do bar.  Nos meus devaneios, nos meus sonhos mais insanos, na loucura em que sempre sucumbimos.
Ah, enquanto a terra tremia, tu me fizeste sentir como se pudéssemos voar tão alto, mais alto que o sol ou que as estrelas, acendendo os astros com a ponta do cigarro lá em cima! Peço-te que não me soltes; que me segures e jamais me deixes no chão outra vez, que continuemos a flutuar nas notas musicais com a ponta dos pés; encantados pelos acordes da guitarra.
Ah, então me fales mais uma das tuas verdades e me tires daqui! Me leve para o parque de diversões e vá comigo na montanha-russa, segure minha mão, e me diga “não tenha medo, boba, é só um brinquedo velho”. Encoste-me na parede e me faças perder o controle outra vez, à medida que meus lábios orbitam em teus lábios, minhas mãos misturam-se as tuas e dançamos debaixo da chuva quando voltamos para casa. E lá vemos as roupas jogadas no chão, e ouvimos os hits dos anos oitenta, e bebemos das garrafas escocesas, e enfim me confessas que o que importa é a elevação, é a nossa elevação! E como outrora subiremos alto, tão alto quanto o sol. Ah, tu me pegaste agora...!

(Inspirado em: Elevation – U2; You shook me all night long – ACDC; You really got me now – Van Halen)

6 comentários:

  1. Nossa, que intenso o texto! Me senti como se eu estivesse num amasso com alguém que eu queria muito estar junto, lendo suas palavras. Gostei muuuuuito! Deu pra captar toda a essência. Querida,me ajuda!? eu to participando de um concurso de escritores, você pode votar em mim? http://www.li3.com.br/clientes/euamoescrever/contos.php?chega-rockstar&p=298 é só clicar no coraçãozinho ^^

    Beijo!
    http://biacentrismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Aah, queria tanto ter uns amassos desses! (6' rs'
    Super intenso mesmo, tbm me senti vivendo isso! ;]
    E obrigada pelo selinho meu anjo, ADOREI *--*

    beeijoca ;*

    ResponderExcluir
  3. Oin amei aki S2
    #seguindo²
    kiss ♥

    http://fanideisi.blogspot.com
    http://fanikitadeisi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. legal teu blog,adorei
    seguindo,segue também ai?
    http://www.meninasligadas.com/
    @CassiaCardoso
    =^.^=

    ResponderExcluir
  5. Lendo um maravilhoso texto de amor eu penso:_Quelindo!

    Depois e daí...entende?

    Ando assim sem vontade de gostar.

    Muito bom seu texto. Abraço

    ResponderExcluir

"Escrevo em linhas tudo aquilo que, nas entrelinhas, a alma quer dizer; tudo aquilo pelo qual palpita o coração"
Ajuda-me? É sempre gratificante saber sobre o que pensam outras mentes!